De Repente Estrada

Tudo sobre construção de trailer, motorhome e kombihome

post abaixo da postagem principal

domingo, 22 de novembro de 2020

08:25

TUTORIAL - EXAUSTOR DE PVC CASEIRO PARA MOTORHOME, TRAILER OU KOMIHOME


Neste tutorial você vai aprender a fazer um duto de exaustão para instalar e sua casa rodante utilizando conexões de PVC facilmente encontradas e com um custo 2x menor do que comprando um duto pronto.
Assista o vídeo, faça você mesmo e economize seu dinheiro.


Lista de material.

02 cap de esgoto 100mm .
01 redução de esgoto 100mm p/ 75mm.
01 oring 100mm para o cap 100mm.
08 parafuso inox 3,5x25 cabeça chata ou panela.
04 parafuso inox 3,5x16 cabeça chata ou panela.
01 grade redonda 100mm com tela branca marca ITC. Link para comprar a grade. 
01 cooler de xbox 360 slim modelo AUB0912HH , no mercado livre o preço varia de R$25,00 a R$90,00.

Deixe a sua opinião, e se houver qualquer dúvida pergunte nos comentários.

Se estas informações são importantes para você, que tal apoiar este blog? Você pode doar qualquer quantia. Pense no quanto são úteis estas informações e quanto você está aprendendo e economizando.

Obrigado pelo seu apoio, tanto pela consideração ao material que é produzido aqui como pela eventual contribuição financeira.

quarta-feira, 18 de novembro de 2020

08:00

TUTORIAL - MEDIDOR DE BATERIAS PARA MOTORHOME, TRAILER OU KOMBIHOME

Monitorando o consumo das baterias  


Veja como instalar um medidor digital para monitorar o consumo da bateria do seu trailer, motorhome ou Kombi. 
   






Este medidor está disponível a venda em vários site de compra de produtos da China, como Aliexpress, Bangood e Wish, abaixo segue um link do Aliexpress onde comprei e tem o melhor preço.  
  



LINK, COMPRE AQUI

Se estas informações são importantes para você, que tal apoiar este blog? Você pode doar qualquer quantia. Pense no quanto são úteis estas informações e quanto você está aprendendo e economizando.

Obrigado pelo seu apoio, tanto pela consideração ao material que é produzido aqui como pela eventual contribuição financeira.



domingo, 15 de novembro de 2020

06:42

TUTORIAL - INSTALAÇÃO ELÉTRICA EM MOTORHOME , TRAILER OU KOMBIHOME

Como fazer a instalação elétrica em seu motorhome ou trailer?

Olá pessoal, vou mostrar através desse video como fiz a instalação elétrica no trailer e qualquer pessoa pode usar como referência para sua instalação.
Pra quem já tem conhecimento da parte elétrica pode avançar a parte do vídeo onde explico o diagrama pois o vídeo ficou bem longo.
Lista  de material logo abaixo.




Os cabos para a bateria precisa ter espessura mínima de 16mm mas o ideal seria uns 25mm, não esqueça os terminais para colocar na ponta dos cabos que vão na bateria.
Para o painel solar usei cabo 4mm vermelho e preto e os conectores MC4 (1 par macho e fêmea) para cada painel solar.
Para instalação 220V usar cabo 2,5mm nas tomadas e 4mm no microondas e no ar condicionado.
Para acionar os reles pode ser cabo paralelo bicolor 1mm , tipo de instalação de som automotivo, e para acionar a bomba d'agua o mesmo tipo de cabo porém 1,5mm.
No video as luminárias ainda eram 220V porém agora elas estão convertidas para funcionamento em 12V, dentro dessas luminárias tem uma fita de led. A fita original é 36V, só retirei essa fita e instalei uma 12V.

Lista de material


1- Painel solar Canadian solar 270W - pode ser qualquer painel de 250 ate 330W, indico o site Minhacasasolar.com.br.
  Link do painel.  

2-  Controlador MPPT - Aliexpress.  Você deve escolher o controlador conforme a potência dos seus painéis solares, para 2 painéis de 300W por exemplo precisa no mínimo de um controlador de 50A Você pode comprar um controlador de 50A ou 2 controladores de 30A formando 60A e assim por diante.
 Link  do controlador MPPT.


3- Baterias estacionarias, essas você pode escolher, mas precisa ser estacionária ou de gel, as que coloquei no meu trailer são de gel e comprei no mercado livre, tenho duas de 200Ah cada, porém indico Freedom, Bosch ou Moura de 220Ah, e sempre baterias iguais, mesma marca. Hoje instalaria dessa forma, não gostei do rendimento das de gel de 200Ah

4- Painel de controles -

Modelo 1 : 



Esse modelo tem as mesmas funções daquele que instalei, porém não tem disjuntores de proteção acima das teclas, você precisa instalar fusíveis de proteção antes do 12V que entra no painel de teclas. 
Modelo 2


Modelo 3:

Já este modelo é uma opção mais econômica, porém com recursos limitados, não tem o medidor de voltagem, nem as portas USB, e também não tem proteção de sobre carga.
Modelo 3
5- Rele de entrada -

ATENÇÃO, ESCOLHER BOBINA 110V OU 220V DE ACORDO COM SUA INSTALAÇÃO.

Rele 80A






6- Rele 12V pra ligar o carregador.

Para a função de acionamento do carregador vou sugerir instalar um disjuntor exclusivo para ligar e desligar o carregador, tendo em vista a dificuldade de comprar esse relé e o seu preço elevado devido a variação do dolar.
A instalação é muito simples, dos dois fios que vem da rede externa 110v ou 220v antes do relé azul grande, você vai fazer uma extensão com uma tomada independente para o carregador, um dos fios você passa por esse disjuntor e o outro vai direto na tomada. deixe a chave liga/desliga do carregador sempre ligada, quando você quiser acionar o carregador basta ligar esse disjuntor. 

6- Carregador :

 Aconselho o carregador Usina Spark 70a fabricado pela Usina que é muito bom. 




7- Inversor de 12V pra 220V ou 110V:

O que eu tenho é esse de 2500W, comprei no ali e na época foi taxado, acredito que seja taxado pois o valor é alto. Se for compra no aliexpress vai pagar uns R$1200,00 sem taxa e uns 2000,00 se for taxado.
Existe também o risco de dar algum problema no inversor e você ter dificuldade de trocar, ou ter que pagar o frete pra China.
 Aconselho o modelo da Hayonik PW12-15 de 1500 Watts, é fabricado no Brasil e tem garantia, tive sorte com o meu, é muito bom mas já comprei vários produtos que chegaram aqui sem funcionar, daí pra trocar é uma novela, isso quando consegue a troca, infelizmente já perdi dinheiro por não conseguir trocar o produto defeituoso.




8- Trilho pra disjuntor DIN:

 você vai precisar de uns 20cm de trilho pra fixar os disjuntores.Você encontra em qualquer loja de materiais elétricos ou em loja de materiais para construção.

9- Disjuntor DIN : 

1 disjuntor de 40A geral, 1 de 16A pro ar condicionado, 1 de 20A pro microondas e 1 ou 2 de 16A pra deixar de reserva. Você encontra em qualquer loja de materiais elétricos ou em loja de materiais para construção.

10- Display medidor de tensão e corrente:

Display voltímetro e amperímetro para monitoramento da tensão (voltagem) e corrente (amperagem) da bateria.



Se estas informações são importantes para você, que tal apoiar este blog? Você pode doar qualquer quantia. Pense no quanto são úteis estas informações e quanto você está aprendendo e economizando.

Obrigado pelo seu apoio, tanto pela consideração ao material que é produzido aqui como pela eventual contribuição financeira.



quarta-feira, 11 de novembro de 2020

08:00

TUTORIAL - CÂMERA DE RÉ NO TRAILER E NO CARRO

Como instalar uma câmera de ré no seu trailer


Neste tutorial você vai aprender a instalar uma câmera de ré em seu trailer ou reboque e fazer um circuito eletrônico que vai mudar automaticamente a visão da câmera instalada no seu carro para a visão da câmera instalada no seu trailer assim que você plugar o conector do trailer no seu carro.
Para fazer esta instalação você não precisa ter conhecimento técnico, porém precisa saber usar um ferro de solda para fazer as conexões dos fios.





Esta é a lista do material necessário:
  • Câmera de ré compatível com seu sistema instalado no carro: 1 peça.
  • Plugue RCA macho cor amarela : 2 peças.
  • Plugue RCA fêmea cor amarela : 1 peça.
  • Pluque P4 macho : 2 peças, levar a câmera de ré a ser instalada quando for comprar o plugue pois existem várias medidas de plugue.
  • Relé de 1 contato reversível com bobina 12v Metaltex AY1RC2 ou compatível : 1 peça, esse relé é facilmente encontrado em placas de estabilizador de tensão.
  • caixa de montagem pequena para acomodar o relé.
  • Cabo RCA suficiente para ir até a traseira do trailer.
  • Cabo paralelo bicolor 1mm (de som de carro) : 1 metro.
  • Tomada padrão ABNT 3 pinos 10A para extenção : 2 peças, 1 macho e 1 fêmea.
  • Cinta de nylon para prender os fios.
  • silicone para vedar as tomadas e o relé.
  • fita isolante.
Após a finalização e os testes, isolar muito bem todas as conexões para não haver infiltração nos conectores.

Se estas informações são importantes para você, que tal apoiar este blog? Você pode doar qualquer quantia. Pense no quanto são úteis estas informações e quanto você está aprendendo e economizando.

Obrigado pelo seu apoio, tanto pela consideração ao material que é produzido aqui como pela eventual contribuição financeira.

domingo, 8 de novembro de 2020

08:00

AS VANTAGENS DO CLIMATIZADOR NO MOTORHOME OU TRAILER

Climatizador  


Para recarregarmos nossas energias e nos prepararmos para mais um dia de aventuras precisamos ter uma boa noite de sono, em um ambiente aconchegante e agradável, e esse lugar é a nossa casa sobre rodas.

Porém algumas noites do verão podem ser uma verdadeira tortura para aqueles que não toleram muito bem o calor.

É aí que entra um equipamento fundamental para uma noite tranquila de sono, o climatizador, que por ter um baixo consumo de energia se tornou o queridinho dos motorhomes.

Durante o dia ele é somente um ventilador, mas seu maior trunfo está na noite, principalmente nas noites em que a temperatura cai consideravelmente em relação ao dia.

Isto porque o climatizador traz o ar de fora pra dentro da casa, renovando e baixando a temperatura interna conforme a noite vai ficando mais fresca, ficando frio o bastante para puxar um cobertor nas madrugadas.


É claro que este sistema não faz milagres, se a temperatura externa estiver muito alta, mesmo nas altas horas da noite, o climatizador será somente mais um ventilador.

Outro fator que deve ser considerado é que se por algum motivo houver algum mau cheiro do lado de fora, ele será ventilado para dentro da casa, tivemos em 6 meses de viagem somente duas ocasiões assim, uma foi que durante a noite alguém colocou fogo no mato e a fumaça começou a entrar e nos sufocar e outra situação foi que acordamos com um cheiro de peixe podre insuportável em uma praia que paramos para dormir, durante a madrugada os funcionários da prefeitura fizeram a limpeza da praia e amontoaram toda a sujeira do lado no nosso trailer, eram  restos de algas e peixes mortos.

Climatizadores tem esse nome devido ao seu sistema de umidificação do ar, seu ventilador canaliza o vento através de um feltro feito com um amontoado de palhas umedecidas com água. Essa água fica armazenada em um tanque e é bombeada em intervalos de tempo. Isso ajuda em lugares onde a umidade relativa do ar está muito baixa. Em locais com clima predominantemente úmidos este sistema pouco ajuda.





Dos 14 meses que moramos no nosso trailer, precisamos usar o ar condicionado somente em poucos dias do mês de janeiro de 2019, onde o termômetro marcava 30 graus em plena meia noite. Poderíamos ter dormido somente com o climatizador, a noite seria menos confortável porém daria pra dormir relativamente bem, mas sabe como é né, estávamos ligados a uma tomada externa e o ar condicionado estava ali, era só apertar o botão.

Nosso climatizador é um Resfriar Up série 6, o consumo dele vai de 1A até 7A quando está na velocidade máxima, normalmente usamos no médio, com consumo de 1,8A, o que é uma ótima relação entre o consumo e o benefício.

Abaixo seguem alguns modelos disponíveis no mercado brasileiro, com preços bastante parecidos entre si.


Se estas informações são importantes para você, que tal apoiar este blog? Você pode doar qualquer quantia. Pense no quanto são úteis estas informações e quanto você está aprendendo e economizando.

Obrigado pelo seu apoio, tanto pela consideração ao material que é produzido aqui como pela eventual contribuição financeira.

quarta-feira, 4 de novembro de 2020

08:00

GELADEIRA 12V PARA MOTORHOME OU TRAILER

 Qual a melhor geladeira para o motorhome?  


Geladeira 12V DC ou 110/220V AC ??

Um bom planejamento do sistema elétrico é a chave do sucesso no quesito autossuficiência, e a geladeira pode ser a grande vilã dessa história.

As geladeiras que usamos nas nossas casas são alimentadas por 110V ou 220V AC dependendo da região do Brasil, e quando vamos montar nosso motorhome usamos esse mesmo tipo de geladeira, e para que ela funciona a partir de uma bateria que é 12V DC precisamos de um inversor, que transforma esses 12V DC em 110V ou 220V AC.

AC significa Alternating Current, ou corrente alternada, e é o padrão de voltagem que circula nas tomadas da nossa casa.

Já a DC é a corrente contínua, do termo em inglês Direct Current é o padrão existente nos carros, pilhas e baterias em geral.

Muito bem, a conversão de uma geladeira de 110V ou 220V AC para o sistema 12V DC pode ter um custo alto, mas se seu objetivo é passar longos períodos na estrada longe das tomadas, essa é a melhor opção sem sombra de dúvidas.

Para nosso exemplo usaremos um frigobar Consul de 80 litros consome 85W.

 Ligando a geladeira, o motor é acionado e se mantém trabalhando até que a temperatura desejada seja atingida e então desliga. Quando a temperatura interna da geladeira começa a subir, o termostato identifica essa variação e aciona o motor novamente, e assim segue ligando e desligando o motor inúmeras vezes para manter a temperatura. 

Acontece que para dar a partida inicial nesse motor as bobinas internas consomem uma elevada corrente (ampéres), e cada vez que ele parte essa corrente é consumida.

Uma geladeira ligada em um inversor, que por sua vez está conectado a uma bateria (12V ou 24V), consome em média 7A enquanto o motor está trabalhando, mais aproximadamente 1A que o próprio inversor consome durante o processo de trasnformação de 12V pra 110V ou 220V.

Temos aqui um consumo de 9A, mas cada vez que o motor parte ele gera lá na bateria um pico de corrente de quase 40A, agora imagina isso várias vezes durante 24hrs.

E é aí que está a magia da conversão para o sistema DC (12V ou 24V)

Convertendo sua geladeira para sistema DC você terá uma economia incrível de energia, isso porque ela consome apenas 3,5A e seu pico de partida não ultrapassa os 4,5A.
O princípio de funcionamento é muito parecido com o sistema do ar condicionado INVERTER.
Existem vários fabricantes de compressores 12V e o consumo de cada um pode ser um pouco maior dependendo da marca do compressor 12v, com consumo que varia de 3,5A a 7A, mas sempre muito inferior ao sistema AC por conta de não haver a necessidade do inversor ligado 24hrs e não ter um pico de partida tão alto. Para nosso comparativo, vamos tomar como exemplo o modelo de um fabricante que consome 3,5A, o GELBOX.

Ajustando a temperatura da geladeira no nível médio o compressor trabalha mais ou menos 10 minutos e fica 20 minutos desligado, em uma hora ela terá trabalhado durante 20 minutos, ou seja, a cada 3 horas ela trabalha uma hora, em 24 horas terá trabalhado 8 horas e consumido 56A. É claro que estes números variam de acordo com a temperatura externa e a frequência que a porta da geladeira é aberta, esse é o consumo médio dela. Por ser uma geladeira AC, você precisa deixar seu inversor ligado 24 horas por dia, o que resulta em um consumo do próprio inversor, mesmo sem nada ligado nele, de até 2 Ah (Amperes por hora), isso em 24hrs já são 48A de consumo só do inversor. Some a isso os 56A do consumo da geladeira e teremos consumido 104A dos 152A que a placa produziu. Adicione pelo menos 20% a mais por conta dos picos de partida do compressor e teremos mais 20.8A, totalizando 124,8A no dia, consumido quase tudo que produzimos só com a geladeira.

Agora vamos fazer o mesmo cálculo com ela convertida para 12V, no mesmo ajuste de temperatura, a cada 3 horas ela terá trabalhado uma hora, em 24 horas ela trabalhará 8 horas com consumo de 3,5A, o que resulta em 28A a cada 24 horas. Adicione a isso 2% de pico de partida e teremos um consumo total de 28,5A. O inversor perde a sua função nesse caso e já não precisará ficar ligado o dia todo, e sim somente quando for preciso ligar algum outro eletro como um computador ou um liquidificador, por exemplo.
O processo de conversão deve ser feito por um profissional técnico em refrigeração, abaixo veja em um vídeo de um dos fabricantes como é feita a conversão.



Os preços geralmente são muito parecidos mas dependendo de onde você mora o frete pode variar bastante, sendo assim é melhor conferir o preço final de cada modelo, clique na imagem e vá direto ao site de cada fabricante para solicitar um orçamento.
Estes são os principais fabricantes de compressores 12/24V atualmente no Brasil.


GELBOX


VELCA



Se estas informações são importantes para você, que tal apoiar este blog? Você pode doar qualquer quantia. Pense no quanto são úteis estas informações e quanto você está aprendendo e economizando.

Obrigado pelo seu apoio, tanto pela consideração ao material que é produzido aqui como pela eventual contribuição financeira.


domingo, 1 de novembro de 2020

08:00

CARREGADOR INTELIGENTE

Como escolher o carregador de baterias para seu motorhome?  





Para que uma bateria tenha a sua vida útil prolongada, ela deve ser carregada com no máximo 20% de sua potência segundo a maioria dos fabricantes, então para uma bateria de 200Ah  devemos aplicar uma carga de no máximo 40Ah.


Carregador de baterias inteligente.


Para as baterias estacionárias o mais indicado são os carregadores inteligentes, eles são microprocessados e recebem esse nome porque conseguem saber quando a bateria está totalmente carregada, e nesse momento o carregador alterna da função carregar para a função flutuação, mantendo a bateria 100% carregada, normalmente em uma tensão de 13.8V, algo que é comum para todas as baterias.

Estágios do ciclo de carga de uma bateria.


1. Corrente constante e tensão variável.
O carregador é ajustado para a corrente desejada, novamente no exemplo de uma bateria de 200Ah o ajuste deve ser de no máximo 40Ah. O carregador inteligente deve ser ajustado para a tensão de equalização descrito na bateria. Ele vai tentar chegar a essa tensão mas sempre obedecendo o limite de 40Ah que você ajustou, sendo assim, fica uma corrente constante de 40Ah e uma tensão variável que vai subindo lentamente até chegar aos 14,4V.

2. Tensão constante e corrente variável.
Nesta segunda etapa a bateria já atingiu sua tensão limite de 14,4V, nesse estágio a tensão é constante e a corrente variável, diminuindo conforme a bateria vai se carregando, até atingir uma corrente de aproximadamente 1% da potência ajustada no carregador, ou seja, se você selecionou 40Ah ele vai considerar que a bateria está carregada quando a corrente drenada pela bateria for de 400mAh (0,4Ah), o carregador alterna para o modo flutuação (float).

3. Tensão de flutuação.
Depois de atingir a carga total, o carregador inteligente alterna seu funcionamento do estágio de carregamento baixando a tensão de 14,4V para 13,8V que é a tensão de flutuação, mantendo assim a bateria carregada por tempo indefinido, sem prejudicá-la e evitando a eletrólise interna da bateria.


Ter um carregado inteligente é fundamental para manter as suas baterias sempre saudáveis, eu considero o carregado Usina como sendo o melhor produto do mercado brasileiro na atualidade.

Você encontra com facilidade no mercado, recomendo a compra na Amazon, assim você não corre nenhum risco de comprar e não receber o produto, além de toda facilidade e rapidez na hora da compra no site da Amazon.





Caso você precise de um carregador com maior potência, para um banco de baterias com mais de 400A total, você pode comprar um carregador de 120A do mesmo fabricante Usina.




Uma segunda opção um pouco mais em conta  e também confiável é o carregador da JFA de 60A que também é inteligente:




Se estas informações são importantes para você, que tal apoiar este blog? Você pode doar qualquer quantia. Pense no quanto são úteis estas informações e quanto você está aprendendo e economizando.

Obrigado pelo seu apoio, tanto pela consideração ao material que é produzido aqui como pela eventual contribuição financeira.

domingo, 25 de outubro de 2020

08:00

TIPOS DE BATERIA PARA MOTORHOME OU TRAILER

 Baterias


As baterias mais indicadas para o sistema de energia solar são as estacionárias, diferentemente das baterias automotivas, elas suportam um longo período de descarga e duram muito mais tempo.
A bateria automotiva é construída para suportar uma descarga de grande corrente por um período curto de tempo e pode ser recarregada rapidamente, principalmente durante a partida do motor do carro, onde é exigido um grande pico de corrente, mas ela não tem a capacidade de durar longos períodos de descarga, mesmo com corrente baixa.  Assim que o motor do carro é ligado, o alternador já repõe essa carga, mantendo-a sempre carregada.
As baterias estacionárias são um pouco diferentes, elas são fabricadas com materiais mais nobres, as placas de chumbo além de serem mais puras tem espessura maior, tudo para que ela suporte longos períodos de descarga. Por esse motivo elas precisam ser carregadas e descarregadas da maneira correta, para que sua vida útil seja prolongada.
Na maioria das baterias estacionárias é recomendado que a profundidade de carga e de descarga sejam de no máximo 20% de sua potência nominal, ou seja, se você tem uma bateria de 100A/h, deve carregar ela com no máximo 20A/h, da mesma forma você deve drenar dela no máximo 20A/h quando está alimentando seus equipamentos.
Cada fabricante determina seus limites e em seu manual técnico constam algumas tabelas com informações sobre cada modelo, analisando os manuais dos fabricantes BOSCH, FREEDOM E MOURA, podemos identificar uma característica comum aos 3 fabricantes, a recomendação da profundidade de carga e descarga é de no máximo 20% da potência nominal. Se respeitado este limite, os fabricantes garantem uma vida útil de pelo menos 4 anos, ou 1500 ciclos. Um ciclo equivale a uma carga e descarga completas, considerando um ciclo completo por dia, em 4 anos teremos 1460 dias.
Porém, como se pode ver nos gráficos extraídos dos manuais técnicos dos fabricantes mencionados, podemos utilizar nossas baterias de forma menos agressiva. Se o limite é uma descarga de 20%, o que aconteceria se utilizássemos um regime de descarga de 10% ou 15%?

Fig 1 - BOSCH

 

 

Fig 2 - FREEDOM

 

 



Fig 3 - MOURA

 

Notem que nas figuras 1 e 2 a curva de descarga é igual para os fabricantes BOSCH E FREEDOM, assegurando ao consumidor 1500 ciclos, ou seja, uma vida útil de 4 anos se utilizada no regime de 20%. Porém se diminuirmos esse valor de 20% para 15% ou até 10%, nossa bateria poderá atingir até 2500 ciclos, o que em teoria faria com que nossa bateria tenha uma vida útil de 6 anos e 10 meses, nada mal hein?

Na figura 3 observamos que o fabricante MOURA disponibiliza 2 tipos de baterias, a família MF e a MC. Notem que a família MC entrega uma vida útil de 2000 ciclos no regime de 20%, em teoria.

 Sabendo que o ideal é carregar as baterias com algo entre 10%  e 20% de sua potência nominal, afim de prolongarmos a sua vida útil, precisamos dimensionar nossas placas solares de modo que em seu maior pico de eficiência, aquele onde o sol do verão está bem em cima, a potência gerada seja igual ou inferior aos 20% da potência das baterias que farão o armazenamento dessa energia, ou seja, se as placas solares conseguem gerar no máximo 20Ah em condições ideais, precisamos de pelo menos uma bateria de 100Ah, ou maior. Também podemos adotar um regime onde o pico de carga dos painéis atinja no máximo 20% nos horários em que o sol está bem acima, assim teremos a  maior parte do dia com carregamento menor do que os 20% toleráveis e somente atingindo esses 20% em algumas horas do dia. Para a descarga se for possível dimensionar  algo entre 10%  e 15%, com picos em 20%, seu sistema garantirá longa vida as suas baterias. Isso significa que teremos um carregamento um pouco mais rápido durante o dia, aproveitando melhor o sol, e também resultará em baterias com maior longevidade.

E se tivermos 2 baterias de 100Ah, totalizando 200Ah, podemos manter essa mesma quantidade de painel que está gerando 20Ah? A resposta é sim, porém essas baterias vão demorar o dobro do tempo para serem recarregadas.
Alguns cuidados devem ser tomados com relação as baterias afim de que elas durem mais tempo, muita gente pergunta se pode usar o alternador do carro para ligar também as baterias estacionárias, além da bateria do carro que já está instalada.
Ocorrem dois problemas, um deles é que o alternador foi projetado para suprir a necessidade do carro, e somente isto. Colocando mais baterias estamos sobrecarregando o alternador e ele pode acabar queimando. Outro problema é os 20% de limite das baterias, o alternador entrega potência máxima, e dependendo da situação essa potência vai direto para as estacionárias e elas não vão durar tantos anos como deveriam.
 

Como montar o banco de baterias

Outro fator importante sobre as baterias é que ao montar um banco com mais de uma bateria SEMPRE devemos usar baterias com as mesmas propriedades. Para facilitar utilize todas as baterias iguais, mas se você tem alguma limitação de espaço ou algo assim e precisa montar um banco com baterias diferentes, preste atenção a estas regras.
As baterias precisam ter a mesma faixa de tensão de equalização (tensão de carga) e o mesmo coeficiente de carga e descarga (10%, 15% ou 20%)
Estes valores você encontra no manual técnico da bateria ou em uma etiqueta que toda bateria tem onde constam as seguintes informações.
 
Imagem da etiqueta técnica da bateria Freedom

Quadro 1 

Modelo: DF500
12V C-100 40Ah: Significa que em 100 horas ela poderá fornecer no máximo 40A durante o período, ou seja 40A dividido por 100 horas = 0,4A (400mA) por hora durante 100 horas, considerando totalmente carregada até atingir a tensão mínima recomendada que é de 10,5V.
C-20 36Ah: Mesma situação, porém com período menor, 36A dividido por 20 horas = 1,8A  por hora durante 20 horas, e assim por diante.
A imagem abaixo, também extraída do manual técnico FREEDOM, é uma tabela com diversos tempos de descarga e seus respectivos valores.

Tabela de dados da bateria FreedomQuadro 2

Tensão nominal: 12V.
Tensão de flutuação: 13,8V.
Tensão de equalização (carga): 15,5V.
É na tensão de equalização que está o maior perigo, pois fabricantes adotam tensões diferentes e se as baterias forem diferentes uma vai prejudicar e até danificar a outra.
Vamos tomar como exemplo 3 fabricantes nacionais mencionados anteriormente, seus produtos são os melhores do mercado, mas tem diferenças entre si, abaixo uma imagem do manual técnico de cada uma delas.

Bateria Freedom - Heliar


Tensão de equalização/recarga : 14,4V a 15,5V.

Informações bateria Freedom



Bateria Moura


Tensão de equalização/recarga : 14,16V a 14,4V.
Note que aqui a informação está um pouco diferente, 2,36 a 2,40 Volts por elemento (Vpe).
As baterias de 12V de ácido/chumbo tem 6 elementos, basta então multiplicar os 2,36 Vpe por 6, o resultado é 14,16V, onde inicia a carga da bateria, com limite até 14,4V.

 

Informações bateria Moura

Bateria Bosch


Tensão de equalização/recarga : 14,4V a 15,5V.

Informações bateria Bosch


Repare que nas baterias dos fabricantes Freedom e Bosch a tensão de equalização vai de 14,4V até 15,5V, sendo assim quando se monta um banco com baterias que tem faixas de tensão de equalização diferentes, o controlador de carga do painel solar pode considerar as baterias totalmente carregadas somente quando elas chegarem a 15,5V, nesse momento a outra bateria, que suporta até 14,4V já está aquecendo mais do que deveria, como o tempo, e não muito tempo, ela vai perder suas propriedades, vai durar muito menos.
Além disso o uso de um carregador de baterias adequado fará toda a diferença para uma vida útil de longa duração, e esse tema abordaremos nas próximas postagens.

Se estas informações são importantes para você, que tal apoiar este blog? Você pode doar qualquer quantia. Pense no quanto são úteis estas informações e quanto você está aprendendo e economizando.

Obrigado pelo seu apoio, tanto pela consideração ao material que é produzido aqui como pela eventual contribuição financeira.


quarta-feira, 21 de outubro de 2020

07:00

PLANEJAMENTO DO SITEMA ELÉTRICO DE MOTORHOME OU TRAILER

Planejamento e cálculo de consumo  






Para se ter auto suficiência de energia na estrada é fundamental um bom planejamento, e certamente você terá que abrir mão de alguns confortos da vida moderna, como geladeira frost free e condicionador de ar , já que a prioridade é a economia de energia. 
Você pode ter um condicionador de ar instalado, mas terá grande limitação de uso com as baterias, podendo usar normalmente quando estiver conectado a uma rede AC externa.
A economia de energia é a chave do sucesso nesta proposta, pois para a maioria dos viajantes o espaço no teto para a instalação de painéis solares é limitado a 2 ou 3 unidades, limitando assim a geração de energia.
Vamos criar aqui um modelo com sistema AC 220V e DC 12V para calcularmos os consumos e dimensionamento do sistema, assim saberemos quantos painéis solares e quantas baterias precisaremos.
Durante a viagem os dois equipamentos mais importantes são a geladeira e o climatizador, sem eles a qualidade de vida fica muito abaixo da esperada. É preciso então gerar energia suficiente durante o dia para mantê-los funcionando o dia todo e ainda armazenar uma quantidade suficiente para a noite.
Mas como saber quanto é preciso gerar de energia? 
Simples, calculando as potências que o painel pode gerar e quanto os equipamentos consomem. Para isso precisamos saber quanto nossos eletros consomem.
Vamos começar pela geladeira, no meu caso um frigobar Consul de 80 litros, consumo de 85W, convertendo para Amperes fica em 7A em media. ele liga e desliga o compressor para manter a temperatura que foi ajustada. Cada vez que o compressor liga ele gera um pico de cerca de 40A la na bateria, já que a geladeira está ligada no inversor e o inversor na bateria, e isso faz com que nossa geladeira consuma muito mais energia. É aí que entra o sistema com compressor que funciona em 12V. Convertendo a geladeira para 12V o consumo pode chegar a meros 3,5A com picos de apenas 4A, uma economia incrível e que vamos detalhar em uma publicação mais a diante.
Ajustando a temperatura da geladeira no nível médio o compressor trabalha mais ou menos 10 minutos e fica 20 minutos desligado, em uma hora ela terá trabalhado durante 20 minutos, ou seja, a cada 3 horas ela trabalha uma hora, em 24 horas terá trabalhado 8 horas e consumido 56A.
Agora vamos fazer o mesmo cálculo com ela convertida para 12V, no mesmo ajuste de temperatura, a cada 3 horas ela terá trabalhado uma hora, em 24 horas ela trabalhará 8 horas com consumo de 3,5A, o que resulta em 28A a cada 24 horas.
Dos 14 meses que moramos no nosso trailer, precisamos usar o ar condicionado somente em poucos dias do mês de janeiro de 2019, onde o termômetro marcava 30 graus em plena meia noite. Poderíamos ter dormido somente com o climatizador, a noite seria menos confortável mas daria pra dormir relativamente bem, mas sabe como é né, estávamos ligados a uma tomada externa e o ar condicionado estava ali, era só apertar o botão.
Nosso climatizador é um Resfriar Up série 6, o consumo dele vai de 1A até 7A quando está na velocidade máxima, normalmente usamos no médio, com consumo de 1,8A. Podemos considerar que ele fica pelo menos 10 horas por noite ligado, e isso resulta em 18A. Durante o dia dificilmente ligamos, mas para ter uma margem de erro vamos considerar mais 2 horas por dia ligado, total 21,6A, arredondemos para 22A.
Temos ainda a iluminação, que  fizemos toda em led, tendo um consumo de 1A cada luminária, quando estamos desconectados da rede externa deixamos somente uma luminária acesa de cada vez, podemos considerar por dia um gasto de apenas 6A com iluminação.
A bomba d'água consome 3A, mas ela fica poucos segundos ligada, sendo mais usada durante o banho, mesmo assim somando todo tempo de uso diário não dá nem uma hora, consideremos então mais 3A de consumo da bomba.
Somando todos os nossos equipamentos essenciais chegamos ao seguinte resultado.

Geladeira        28A
Climatizador   22A
Iluminação       6A
Bomba d'água  3A
TOTAL            59A  diários

Em nosso trailer temos instalados 2 painéis solares somando 400W no total, gerando cerca de 1800W em um bom dia de sol, na media. Convertendo em amperes temos 150A gerados.
Nosso consumo diário ficou praticamente na metade do que geramos com 400W de painéis solares, então um painel de 300W seria suficiente certo?
A resposta é sim, desde tenhamos dias inteiros de sol, não estacionemos nunca em um local que faça o mínimo de sobra sobre os painéis e que não liguemos mais nenhum equipamento em nosso sistema, e essa é a parte complicada.
Existem outros equipamentos que fazem parte do nosso dia a dia, principalmente telefones celulares e notebooks.
Para que tenhamos uma vida mais agradável durante a viagem acabamos utilizando muito dos celulares, e na maioria dos casos também notebooks, sem esquecer dos televisores, que também pode fazer parte dessa lista, e é preciso gerar energia para estes equipamentos também.
Além disso, temos que considerar os dias nublados e com chuva, em nosso cálculo acima geramos 152A e gastamos 59A. Se no dia seguinte amanhecer com chuva, a geração de energia é nula e precisaremos usar o restante da energia que foi produzida, mais um dia de chuva e ficamos sem energia. E se chover uma semana inteira?
Bem, seriam pelo menos 59A por dia, o que daria 413A por semana, precisaria ter pelo menos 413 Amperes de capacidade de armazenamento.
Para resolver este problema e ter ainda energia para seus outros eletros, é preciso mais placas, e mais baterias, podendo ter desde um conjunto mínimo necessário para os itens básicos até um banco de baterias que lhe permita inclusive utilizar o condicionador de ar, tudo vai depender do quanto de espaço e dinheiro você tem disponível.
Outra opção é diminuir o consumo geral, e a conversão de alguns eletrodomésticos para 12V é a melhor jogada, veremos como fazer isso nas próximas postagens.
Voltemos aos nossos cálculos.
Um notebook consome cerca de 50 a 150 Watts dependendo do modelo e do processador, vamos usar como base o maior valor, o que dá algo próximo a 10Ah (em 12V), se esse notebook ficar 2 horas ligado, serão 20A e assim por diante, podemos considerar 4 horas por dia ligado para termos uma boa margem. Se você tem um Netbook ou um notebook mais "leve" pode considerar um pouco menos, usei o meu notebook como referência, o mesmo que uso nas edições de vídeos.
Os celulares consomem pouco, cerca de 1Ah e carregam bem rápido, podemos considerar umas 2 horas de carga pra cada celular, a maioria não consome nem a metade disso. Para 2 celulares vamos contar 8A por dia.
Vamos disponibilizar mais 20A diários para outros equipamentos.
Nossa lista ficou assim:
Itens básicos:

Geladeira        28A
Climatizador   22A
Iluminação       6A
Bomba d'água  3A
TOTAL            59A 

Itens adicionais:

Notebook       40A
Celulares          4A
Outros            20A
TOTAL           64A

TOTAL GERAL 59A + 64A = 123A diários

A partir desses dados é possível ter uma boa ideia do que você precisará de painéis e baterias para seu sistema fotovoltaico.
Para compensar os dias nublados considere aumentar de 30 a 50% a sua capacidade de geração de energia, no caso da nossa lista de equipamentos seria ideal gerar entre 150A e 200A por dia, o que se consegue com 2 painéis solares, um de 300W e outro de 250W. Nesse caso compensa mais colocar logo 2 painéis de 300W, pela pouca diferença de preço e é sempre bom ter energia de sobra.

Agora que já sabemos o que precisamos para gerar a energia, precisamos saber como armazenar essa energia de forma eficiente, e a resposta virá nas próximas postagens quando falarei tudo sobre baterias.


Se estas informações são importantes para você, que tal apoiar este blog? Você pode doar qualquer quantia. Pense no quanto são úteis estas informações e quanto você está aprendendo e economizando.
Obrigado pelo seu apoio, tanto pela consideração ao material que é produzido aqui como pela eventual contribuição financeira.

domingo, 18 de outubro de 2020

07:00

CONTROLADORES DE CARGA

 

Controladores de carga.  


Cuidado com o controlador que você compra

Antes de adquirir seu controlador de carga preste muita atenção nessa postagem para não acabar comprando gato por lebre.

O controlador de carga é o equipamento que transforma a energia produzida pelos painéis solares em carga para as baterias, simples assim. Porém essa simplicidade fica somente na descrição do seu funcionamento, o controlador de carga é um equipamento dedicado não somente a essa conversão, mas também a conservação da vida útil das baterias que ele controla.

Assim como um carregador inteligente, o controlador de carga precisa fazer a carga de acordo com as necessidades e limitações das baterias, para que estas durem sempre o máximo de tempo possível.
Existem dois tipos de controladores no mercado atualmente, o PWM e o MPPT.
O modelo PWM tem custo inferior ao MPPT, porém dependendo da aplicação ele pode não ter um rendimento significativo, isso porque ele não consegue aproveitar 100% da energia gerada pelos painéis. Para isso foi criada a tecnologia MPPT.
O controlador MPPT pode extrair 100% da energia gerada pelos painéis solares, principalmente quando a diferença entre a tensão das baterias e a tensão gerada pelos painéis é maior.
Para entender melhor como funcionam os dois tipos de controladores, precisamos saber também que existem diferentes tamanhos e potências de painéis solares. A figura abaixo é uma tabela com os valores de potência e tensão de alguns painéis.




Vamos fazer um comparativo de montagem com 1 painel solar de 105W com controlador PWM vs MPPT em sistema 12V.
Primeiro precisamos saber quantos amperes este painel pode entregar, para isso basta dividir a potência do painel pela tensão de carga:

105W dividido por 17,6V = 5,97 A

Nosso painel gera no máximo 5,97A trabalhando em 17,6V . O que o controlador PWM fará é diminuir esses 17,6V para a tensão de carga da bateria, o que ficará entre os 12V e 14,4V, e manterá a mesma potência, os 5,97A.
Notem que existe uma diferença de 3,2V  entre os 17,6V gerados e os 14,4V aplicados na tensão de carga, essa diferença é dispensada pelo controlador PWM.
No caso do controlador MPPT, essa diferença é convertida em mais potência para carregar a bateria.
Em montagens como esta do exemplo essa diferença é tão pequena que não compensa a aplicação de um controlador MPPT, visto que o mesmo tem um preço relativamente maior ao PWM.
A situação fica muito diferente quanto fazemos uma montagem com painéis maiores, com tensão de carga maior.
Por exemplo uma montagem em sistema 12V com painel de 365W. Este painel trabalha com uma tensão de carga de 39,4V. Entre esta tensão e os 14,4V da tensão de carga temos 25V de diferença, e toda essa tensão que sobra é convertida em mais potência para carregar a bateria.
Sem dúvida o controlador MPPT trará um maior aproveitamento da energia gerada pelos painéis nesse caso.
Agora que você sabe de tudo isso já pode determinar o tipo de controlador que vai comprar, e muitas vezes compensa importar da China através de sites como o Aliexpress.

É aqui que vc deve ter muito cuidado pois alguns vendedores literalmente enganam os compradores, que receberão seu produto lindo e maravilhoso na caixinha, e ele funcionará perfeitamente convertendo a energia gerada pelos painéis em carga para as baterias, porém.... ele é um PWM, mesmo que no anúncio está escrito MPPT.

Para facilitar a vida de quem está procurando um controlador com preço baixo e não ser enganado pelos vendedores pilantras, vou mostrar como identificar se o controlador é MPPT ou PWM, estejam atentos a estas características:

Para esta comparação usarei os dois modelos abaixo. Note que no modelo PWM está escrito bem grande na frente MPPT L80, isso porque o nome do controlador é esse, e não que ele é MPPT, jogada de mestre !  

MPPT

PWM - falso MPPT    



1- MODO DE CARGA.

Na descrição do modo de carga deve constar 100% MPPT, não pode conter nada relativo a PWM, ou MPPT+PWM, veja os exemplos abaixo.




MPPT



PWM - falso MPPT

Veja que no caso do falso MPPT as informações são bem confusas justamente para induzir o comprador a acreditar que se trata de um controlador MPPT.

Se você está comprando pelo Aliexpress, verifique a aba DETALHES.


MPPT


PWM - falso MPPT

2 - PESO DO CONTROLADOR

O peso de um carregador MPPT é praticamente o dobro de um PWM, procure na descrição e se o peso for menor que 700 gramas duvide do produto.


MPPT

PWM - falso MPPT

O que justifica o maior peso de um autêntico MPPT é justamente a parte adicional do circuito que faz a função MPPT, que precisa de bobinas com núcleo de ferrite para fazer a conversão da tensão sobressalente em mais corrente, essas bobinas é que pesam mais e simplesmente não existem no falso MPPT. Vejam a imagem abaixo.

MPPT


Vou deixar o link de um controlador genuinamente MPPT caso você queira comprar pelo Aliexpress sem correr riscos.



Os sistemas fotovoltaicos chegaram para complementar a vida de quem está a bordo de um motorhome, um casamento perfeito da liberdade com a auto suficiência energética.


Se estas informações são importantes para você, que tal apoiar este blog? Você pode doar qualquer quantia. Pense no quanto são úteis estas informações e quanto você está aprendendo e economizando.
Obrigado pelo seu apoio, tanto pela consideração ao material que é produzido aqui como pela eventual contribuição financeira.



Postagens mais antigas Página inicial